INÊS SILVA 

Inês Isabel Silva (Double I), nascida em Beja em 1984, desde cedo mostrou um gosto e um talento especial pela dança. Em 1999 começou a praticar Hip Hop em aulas regulares com os maiores nomes das danças urbanas em Portugal.

Frequentou o curso de instrutores «Hip Hop College - Instructor»
ministrado pela empresa Diego Sacco e reconhecido por Madonna Grimes Fitness and Dance Theatre Company tirando a especialização em Urban Striptease Aerobics. Fez formações em Dança Contemporânea e Hip Hop com Ricardo Freire, Leonor Ramos, Rita Spider, Hugo Marmelada, Sabine Shindler
(Alemanha), Claudie Fadda (Bélgica) e Lando Wilkins (USA).

Leccionou em inúmeras aulas e workshops em diversas convenções, eventos e escolas fazendo também trabalhos como coreógrafa e encenadora de diversas actuações.

Em 2009 participou no videoclip «Welcome To The SG Sound» do cantor Sir Giant como coreógrafa e bailarina.
É fundadora e coreógrafa do grupo de Hip Hop «7th Project».
Actualmente é instrutora de Hip Hop em diversos ginásios e escolas de dança trabalhando com crianças e adultos.

Frequenta, actualmente, o curso de Motricidade Humana da Universidade Lusíada de Lisboa.

Hip-Hop

O Hip-Hop nasceu nos subúrbios de Nova Iorque entre as décadas de 1960 e 1970. As populações, imigrantes do Caribe, principalmente da Jamaica, enfrentavam diversos problemas de ordem social e era na rua que os jovens encontravam o único espaço de lazer. Geralmente entravam num sistema de gangues, os quais se confrontavam de maneira violenta na luta pelo domínio territorial.
Neste contexto, nasceram diferentes manifestações artísticas de rua, formas próprias de se fazer música, dança, poesia e pintura. Os gangues foram encontrando nestas novas formas de arte uma maneira de canalizar a violência em que viviam submersas. Passaram a frequentar festas e a competir com passos de dança e não mais com armas. Estas “batalhas” geralmente são realizadas em uma cipher - um espaço de dança circular que se forma naturalmente quando a dança começa. Os movimentos são improvisados no momento (freestyle).

O hip hop é uma dança em constante evolução onde se inclui uma grande variedade de estilos, nomeadamente Breaking, R&B, Locking, Ragga, Popping, Pop, Funk, Electric Boogie, Krump, Wave, NewStyle, Krumping, entre outros.

- O BreakDance era utilizado para disputar o comando do território, pelas gangues da época. Muito inspirada nos movimentos de luta, é a dança mais viril de forte componente acrobatica. Actualmente é a dança base do B-Boy em que o "FootWork" e os "PowerMoves" são as diferentes especialidades.

- O Popping é a evolução de uma dança antiga, o Robot (cópia dos movimentos mecânicos de um robô), mas de estilo mais complexo, com mais energia e que se apropria de movimentos de ilusão, mímica, clown (palhaço), desenhos animados e dança indiana.

- O Locking é um estilo de dança Funk e Street Dance, que hoje é também associado ao hip hop. O nome é baseado no conceito de "bloquear" os movimentos, congelar um movimento rápido, "bloqueio" e retomar na mesma velocidade. Baseia-se em movimentos rápidos e distintos de braço e mão combinado com movimentos mais relaxados de quadris e pernas. Os movimentos são amplos e muito bem sincronizados com a música. Locking é uma actuação muito virada para o espectáculo, sempre interagindo com a plateia, sorrindo…alguns movimentos são bastante cómicos por natureza.

- O krumping surgiu na década de 1990, tem como parente remoto do «breakdance» e traduz a afirmação de uma juventude que vive em ambientes marcados pela violência quotidiana. Também conhecido como "Clown Dancing" ou "Clowning",a dança do palhaço, é marcado por movimentos ágeis, ultradinâmicos e rebuscados, que unem a destreza e a sensualidade, de modo livre e expressivo acompanhado pelo uso de pinturas faciais. Tem como característica ser não-violento, apesar de rápido e de incluir contato físico entre os dançarinos em movimentos agressivos que lembram uma luta real.

RAGGA - Dinâmico, humano, alegre, sensual e energético!

Possui raízes Afro-Jamaicanas, e é inspirado no chamado "Dancehall", espaço de dança dos ambientes festivos Jamaicanos.

Mais do que um estilo de dança, é também uma forma de cantar e de fazer música, assumindo-se assim como uma cultura própria, tal como o Hip-Hop.

O seu estilo musical é caracterizado por uma espécie de Reggae electrónico, de batida mais rápida, misturado com os beats característicos do Hip Hop. Esta fusão, faz com este estilo seja rico e diversificado nos seus movimentos, em que a palavra chave deste estilo de dança é sem dúvida a criatividade.

 

Urban Striptease

"Urban Striptease Aerobics" consiste num programa criado pela instrutora Tricia Murphy, que decidiu conceber uma forma de exercício que desenvolve a sensualidade nas suas praticantes através de uma aula que combina uma actividade de características aeróbicas com movimentos básicos de Striptease. Tem como objectivo desenvolver uma aula divertida e enérgica que ensina movimentos sensuais de dança. Trabalha a flexibilidade, postura e expressão corporal, promovendo uma melhoria da auto-estima, confiança e sensualidade nas suas praticantes.

Os princípios que definem este programa são:

“as roupas não se despem;
é um exercício aeróbio;
o objectivo da aula é a diversão;
é uma aula exclusiva para mulheres”

Com coreografias simples e músicas actuais ao estilo de Madonna, Pussycat Dolls ou Britney Spears, é efectuado trabalho de chão podendo ser utilizados adereços como chapéus, cadeiras, luvas, etc. »

 


































Crie um site gratuito com o Yola.